Passar para o Conteúdo Principal
Voltar ao início

Contributos ambientais para uma Europa melhor

Europa 1 1024 2500
30 Novembro 2019

europa 1

O Município de Esposende acolheu esta sexta-feira, dia 29 de novembro, o evento “Diálogo com os Cidadãos”, sob o tema “Que contributos ambientais sustentáveis devemos promover para uma melhor Europa?” promovido pelo Centro de Informação Europe Direct, instalado no Instituto Politécnico do Cávado e do Ave.
Segundo a vereadora com a área funcional da Educação, Angélica Cruz, que moderou esta sessão, a iniciativa visou “informar os cidadãos sobre as políticas ambientais da União Europeia, contribuindo para o conhecimento mais amplo das medidas de defesa do Planeta. Por isso, tivemos presentes alunos da Escola Secundária Henrique Medina e da Escola Profissional de Esposende”.
Humberto Delgado Rosa, diretor para o Capital Natural na Direcção-Geral do Ambiente da Comissão Europeia, recordou que “a evolução tem sido feita à custa da degradação da atmosfera, dos mares e dos territórios”, para justificar a forte aposta que a Comissão Europeia faz, apontando o clima como prioridade.
Assim, as orientações da Comissão Europeia, que agora inicia funções, apontam objetivos bem precisos: Até 2025, a Europa deverá ser o primeiro continente neutro em carbono; A Europa deverá liderar em matéria de biodiversidade; Até 2025, a Europa deve atingir o estádio de Poluição Zero; Deve ser adotado um novo plano de economia circular.
Já Ricardo Cunha, docente no Instituto Politécnico do Cávado e do Ave, alertou os jovens para a atenção que devem dar a “movimentos sociais de consciencialização ambiental que estão a aparecer” e, analisando o caso concreto de Esposende, alertou que “a importância do turismo pressupõe planos adequados na proteção ambiental”.
Paulo Marques, presidente do Conselho de Administração da Esposende Ambiente, cuja política de sustentabilidade “está apostada em promover a qualidade de vida da população”, apontou as múltiplas áreas de intervenção da empresa municipal, destacando o fornecimento de água de elevada qualidade para consumo, “o que consiste num enorme contributo para um melhor ambiente”.

Esta postura enquadra-se nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030, da Organização das Nações Unidas.