Passar para o Conteúdo Principal
Voltar ao início

GARFO abre 4.º Festival de Teatro Amador no próximo fim-de-semana

A talha 1 1024 2500
03 Fevereiro 2020

GARFO

Com a apresentação da peça “A Talha”, o Grupo Teatro Fonte Boa (GARFO) dá início, no próximo fim-de-semana, dias 8 e 9 de fevereiro, ao 4.º Festiama – Festival de Teatro Amador de Esposende.

O evento é organizado pelo Município, no âmbito do programa CREARTE – Crescimento da Arte Teatral em Esposende, e vai estar em cena até ao final de março no Auditório Municipal de Esposende, contemplando a apresentação de seis espetáculos pelos grupos de teatro amador concelhios.

Ao sábado, os espetáculos têm lugar às 21h30, e, ao domingo, decorrem a partir das 16h30. A aquisição de bilhetes, cujo custo é de 3 euros, poderá ser efetuada nas Piscinas Foz do Cávado, na bilheteira online em https://www.esposende2000.pt/pt/43-eventos/ ou, caso ainda existam, no Auditório Municipal, nos dias dos espetáculos, uma hora antes.

A peça “A Talha”, de Luigi Pirandello, retrata a história de um rico e conflituoso latifundiário; o famoso Don Lolò, antecipando uma grande colheita de azeitonas, compra uma gigantesca Talha para armazenar o óleo extra que será produzido. A Talha é colocada numa despensa mas, sem motivo, o objeto é encontrado completamente quebrado e dividido em dois. O Artesão Zi Dima, famoso na área por ter inventado a sua singular e poderosa cola, é chamado, mas Don Lolò insiste no uso de agrafes. Zi Dima põe-se a trabalhar, irritado com a falta de confiança na sua cola, conserta a jarra com agrafes, mas acaba preso dentro dela por causa da colocação dos agrafes. A cola é tão poderosa que a única maneira de o soltar seria esmagar a Talha. Don Lolò, o dono do pote, vai então à cidade para consultar o seu advogado, que o informa de que é legalmente obrigado a quebrar o dito pote para libertar Zi Dima, mas que Zi Dima será obrigado a compensá-lo pelo valor da Talha. O que se segue é uma série de ações farsescas que, eventualmente, irão levar Don Lolò a ser alvo da piada de toda a aldeia. Uma situação paradoxal, no limite do grotesco, e um final inesperado de humor Pirandelliano são os ingredientes desta hilariante obra.

O espetáculo seguinte do Festiama decorrerá nos dias 29 de fevereiro e 1 de março, com a apresentação, pelo grupo infantil e juvenil Boca de Cena, da peça “Seda”, de Hugo Direito Dias.

Este programa de incentivo ao crescimento da arte teatral no concelho de Esposende enquadra-se no cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 da ONU, nomeadamente no se refere a “Educação de Qualidade” e “Parcerias para a Implementação dos Objetivos de Sustentabilidade”.