Passar para o Conteúdo Principal
Voltar ao início

Reforço da restinga de Ofir avança no âmbito do Programa Polis Litoral Norte

Restinga obras1 1 1024 2500
19 Novembro 2013
A Sociedade Polis Litoral Norte acaba de lançar o concurso público da empreitada de Manutenção e Reforço do Cordão Dunar da Restinga de Ofir, cujo preço base é de 2.020.000 euros, financiado com fundos nacionais e comunitários.
A Sociedade Polis Litoral Norte acaba de lançar o concurso público da empreitada de Manutenção e Reforço do Cordão Dunar da Restinga de Ofir, cujo preço base é de 2.020.000 euros, financiado com fundos nacionais e comunitários.

Esta intervenção, a executar no âmbito do programa Polis Litoral Norte, reveste-se de extrema importância, atendendo a que, para além de prever o reforço desta barreira natural que protege a cidade de Esposende, irá contribuir para a melhoria da navegabilidade no acesso ao rio Cávado, com evidentes benefícios para as atividades económicas locais, particularmente para os pescadores.

Devido aos fortes processos erosivos a que está sujeita, a Restinga de Ofir apresenta constante perigo de rutura, pelo que é necessário proceder ao seu reforço dunar, através da alimentação de areia. Por estar mais exposta à ação da maré e da agitação marítima, a zona norte da restinga apresenta maior fragilidade, pelo que a intervenção de reforço vai incidir sobretudo nesta área, que atua como uma defesa ativa do litoral.

Para a concretização desta estratégia, e para além de vários outros aspetos, importa realçar que os trabalhos de reforço do cordão dunar serão executados com recurso à construção de uma duna artificial, através da utilização de cilindros geossíntéticos dispostos ao longo do contorno da cabeça da restinga, colocados tanto do lado do mar como do rio e posteriormente cobertos também com areia. A utilização destes elementos permitirá que a alimentação de areia possa efetivamente prolongar-se no tempo e, assim, melhor se atingirem os objetivos de proteção e de melhor gestão de recursos financeiros.

De notar também que toda esta intervenção inclui ainda a revegetação, a remoção e substituição de estruturas degradadas (vedações e paliçadas), o ordenamento dos acessos à praia através da colocação de passadiços sobre-elevados e de painéis informativos, bem como ações de monitorização ao nível da Qualidade da Água, Avifauna, Flora e Formação Dunar, numa estratégia global e concertada.

Este projeto é tanto mais importante na medida em que a alimentação da restinga será efetuada com sedimentos removidos da barra e da zona terminal do canal de navegação do rio, o que contribuirá para a melhoria da navegabilidade no troço final do estuário do Cávado. Este é um processo muito ambicionado pelos habitantes de Esposende, que possibilitará melhores condições de segurança para os pescadores e para todos quantos usam a barra de Esposende.

Dada a especificidade da intervenção, os trabalhos terão que ser realizados durante os meses de verão, concretamente de 15 de junho a 15 de setembro de 2014, sendo que os trabalhos preparatórios decorrerão entre 15 de março e 15 de junho.

Recorde-se que no âmbito do programa Polis Litoral Norte foram concretizadas, até ao momento, três empreitadas, nomeadamente a Requalificação dos Arruamentos Interiores do Pinhal de Ofir, Execução dos Percursos da Natureza do Parque Natural do Litoral Norte e a Requalificação da Zona Ribeirinha de Esposende, tendo sido já adjudicada a empreitada de Requalificação da Zona Ribeirinha de Fão, perspetivando-se que os trabalhos terão início dentro de 1 mês e meio.

A gestão desta intervenção está a cargo da Polis Litoral Norte, uma sociedade de capitais públicos constituída pelo Ministério do Ambiente e Ordenamento do Território e Câmaras Municipais de Esposende, Viana do Castelo e Caminha. O investimento de Esposende é de 4 milhões de euros, no valor total do Polis Litoral Norte, traduzindo-se num grande esforço financeiro do Município, perfeitamente sustentando pela relevância do programa, que contribuirá de forma significativa para a sustentabilidade ambiental e qualidade de vida do concelho, com reflexos ao nível do sector económico.