Passar para o Conteúdo Principal
Voltar ao início

COMUNICADO

Cme 1 1024 2500
08 Novembro 2013
Recentemente vieram a público, através da Comunicação Social, notícias dando conta de um derrame de óleo no rio Cávado, que atingiu zonas de reserva natural do Parque Natural Litoral Norte.
Recentemente vieram a público, através da Comunicação Social, notícias dando conta de um derrame de óleo no rio Cávado, que atingiu zonas de reserva natural do Parque Natural Litoral Norte.

O acidente ficou a dever-se a uma inundação ocorrida há cerca de três semanas nas instalações da empresa Solidal – Condutores Elétricos, S.A., em virtude da forte intempérie que assolou o concelho de Esposende. Devido à chuva intensa, a água dos terrenos circundantes invadiu as instalações da empresa, submergindo vários equipamentos, entre os quais reservatórios de óleo industrial, o que fez com que este produto fosse arrastado através da linha de água para o rio Cávado.

Desde a primeira hora, a empresa encetou todas as diligências no sentido de conter a mancha poluente e minimizar os danos da contaminação, estando em elaboração um plano de recuperação da zona afetada, processo que tem vindo a ocorrer em articulação com as entidades com jurisdição na área - o Parque Natural Litoral Norte e a Agência Portuguesa do Ambiente (ex-ARH Norte) – e contando com o apoio da Proteção Civil Municipal e com o acompanhamento do Serviço de Proteção da Natureza e do Ambiente (SEPNA) da GNR. Prontamente foram colocadas barreiras adequadas para a contenção do óleo, com o intuito de evitar a sua propagação para o caudal do rio.

Importa realçar que estão, desde já, a estudar-se tecnicamente as medidas a implementar para permitir um mais adequado escoamento das águas pluviais em situações extremas. Para além disso, e também com a colaboração das entidades locais, designadamente da Câmara Municipal, da empresa municipal Esposende Ambiente e do Parque Natural Litoral Norte, em articulação com a empresa Solidal, encontra-se em avaliação a possibilidade de se promover a requalificação ambiental da linha de água em causa e suas áreas adjacentes.

O Município está, portanto, desde a primeira hora, a acompanhar a situação e a desenvolver esforços para a sua resolução naquelas que são as suas competências, em consonância com as entidades responsáveis.